Sucata de Ferro

O ferro é o metal mais utilizado na produção mundial devido a sua dureza e seu baixo custo. Num ranking mundial, o Brasil fica em segundo lugar na produção de ferro.

Em 2014 a produção de ferro atingiu 400 milhões de toneladas, sendo destas 344 milhões exportadas e gerando assim uma receita de mais de 25 bilhões de dólares, fazendo com que este produto fosse classificado com maior receita do ano.

A reciclagem do ferro pode ser considerada uma das primeiras formas de reciclagem feitas pelo Homem. Sua história começa nas guerras antigas, onde havia a necessidade de reaproveitamento de armas e armaduras. Com o passar dos anos foram surgindo novas formas de utilização do ferro e a reciclagem se tornou uma importante atividade econômica e ambiental.

Em torno dos anos 40 que se deu início no Brasil a reciclagem do ferro, com o aparecimento de empresas de sucata. Hoje este grande mercado está centralizado mais em São Paulo, correspondendo 49% de todo o mercado. No Brasil calcula-se em torno de 2.500 empresas no setor da reciclagem de ferro, processando mensalmente até 420 mil toneladas de sucata. Anualmente são consumidas 10 milhões de toneladas de sucata ferro e aço.

Segundo o site Reviverde, a cada tonelada de aço reciclado corresponde a uma economia de 1.140 kg de minério de ferro, 154 kg de carvão e 18 kg de cal. Assim também como a reciclagem de alguns outros materiais, a reciclagem do aço consome menos energia na produção e evita a emissão massiva de CO2 na atmosfera

O ferro-velho e os sucateiros são responsáveis pelo recebimento e destinação correta do aço, enviando as usinas, que usam a sucata para a fabricação de um novo aço.

O aço é 100% reciclável, o que facilita o processo da reciclagem, pois sua sucata pode ser transformada em aço novo infinitas vezes, sem perder sua qualidade.

Quando a sucata chega as fábricas, o material passa por uma triagem, onde se verifica se há ou não algum material radioativo. O reprocessamento do material se inicia com a separação das sucatas entre as puras e as que contém algum tipo de sujeira como: tintas, plásticos e etc. Em seguida o material é levado a esteira onde poderá ser cortado ou prensado. Assim as peças estão prontas a serem enviadas as siderúrgicas para que sejam refundidas a 1.550 graus centígrados. Após atingir o ponto de fusão, no estado de líquido fumegante, o material é moldado em tarugos e placas metálicas que serão cortados na forma de chapas e aço.

Os metais, em princípio, não são biodegradáveis. Uma lata de aço para se desintegrar demora uns 10 anos convertendo-se em óxido de ferro.